Vistoria? Inspeção? Auditoria? Perícia? Certificação?

Qual serviço você contrataria para avaliar o estado das instalações elétricas da sua empresa ou residência: vistoria, inspeção, auditoria ou perícia? E o produto gerado por esse serviço seria um relatório, parecer, laudo, atestado, certificado ou declaração?

(junho / 2014)

Provavelmente o leitor que tinha certeza do que solicitar, ao ler o resumo, ficou com uma pontinha de dúvida.

Este artigo apresenta a aplicação desses termos em instalações elétricas, mas que também são aplicáveis em diversos outros contextos.

Todos esses tipos de serviço (vistoria, inspeção, auditoria, perícia, certificação) visam a alguns objetivos, como por exemplo, avaliar o estado de obsolescência ou degradação das instalações, atender a legislação, identificar anomalias ou causas de acidentes, melhorar a segurança ou desempenho das instalações, entre outros. Portanto, é preciso saber bem o que se deseja para que a contratação alcance o objetivo desejado.  Continue lendo “Vistoria? Inspeção? Auditoria? Perícia? Certificação?”

Classificação das influências externas

Este artigo vai te ajudar a entender por que um projeto de instalações elétricas não deve se iniciar pela marcação de pontos de utilização em uma planta de arquitetura, bem como aspectos importantes e decisivos na especificação de um componente elétrico.

(janeiro / 2011)

Este artigo aborda assunto pouco considerado nos projetos de instalações elétricas, mas que tem influência direta, por exemplo, na especificação dos componentes, na escolha das linhas elétricas e nas medidas de proteção contra choques elétricos.

A omissão da análise das influências externas nos diversos ambientes de um empreendimento pode colocar em risco a segurança das pessoas e da edificação e a integridade de alguns componentes da instalação elétrica.

Inicialmente, cabe esclarecer que o termo “influência externa” não se refere apenas às condições “climáticas do ambiente exterior”, mas sim, às diversas condições a que estão submetidos os componentes da instalação, incluindo sua própria utilização e as características construtivas das edificações.  Continue lendo “Classificação das influências externas”

Pregão eletrônico e os serviços de engenharia

Embora já se tenha alardeado aos quatro cantos a inadmissibilidade do uso de pregão eletrônico para serviços especializados de engenharia, inclusive com decisões judiciais, ainda é comum órgãos e entidades públicas abrirem concorrência nesta modalidade para contratação de serviços especializados de engenharia.

Inicialmente, vê-se com preocupação o desconhecimento dos administradores públicos sobre essa inadmissibilidade e sobre o que se entende por serviços de engenharia. Isso se torna temerário, já que se a contratação se der por essa modalidade, ou pela da concorrência predatória, haverá prejuízo significativo para o setor público, e por consequência, para toda a sociedade. Como, aliás, tem-se visto em muitas situações que se tornam públicas.

Salvo os poucos casos dos serviços “comuns” de engenharia, a grande maioria se refere a serviços que têm significativa, ou a quase totalidade, de parcela de desenvolvimento de natureza intelectual. Portanto, não se pode mensurá-los, nem qualificá-los de acordo com os métodos convencionais de avaliação de propostas – para as quais, no fundo, é sabido que só se vai olhar para o preço! Continue lendo “Pregão eletrônico e os serviços de engenharia”

O quanto conhecemos?

Será que o universo que conhecemos sobre determinado tema já é suficiente para nele atuarmos com segurança?

(julho / 2007)

Para que a proposta de reflexão e de mensagem contidas neste artigo tenha êxito, convido os leitores a acompanharem esse raciocínio inicial com atenção, e a fazerem uma breve viagem a um passado distante, iniciando pelo curso primário (atual Fundamental I).

Em um primeiro momento poderá parecer sem sentido, ou então que existe alguma “pegadinha”, mas se o leitor se permitir entrar na brincadeira proposta e pensar na abrangência e na profundidade da questão, irá colher importantes benefícios. Vamos lá!  Continue lendo “O quanto conhecemos?”

O atestado da IT-41

Com a profusão de Atestados da IT-41 do Corpo de Bombeiros emitidos irregularmente, este artigo esclarece aspectos importantes para os profissionais estarem cientes antes de se aventurarem nesse tipo de prestação de serviço.

(setembro / 2017)

O objetivo deste artigo é esclarecer alguns aspectos sobre a inspeção das instalações elétricas e a emissão do Atestado de Conformidade conforme a Instrução Técnica nº 41 (IT-41) do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, também utilizada pelo Corpo de Bombeiros de outros estados.

A IT-41, existente desde 2011, estabelece requisitos para inspeção visual das instalações elétricas de baixa tensão, a qual é uma das exigências para obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Trata-se de uma medida criada para obter a tão sonhada melhoria da segurança das instalações elétricas. Continue lendo “O atestado da IT-41”

Busca insana pelo mais barato

Este artigo aborda a questão da contratação de serviços de natureza intelectual pelo menor preço, com apresentação de exemplos com consequências danosas.

(agosto/2018)

Ninguém joga dinheiro fora intencionalmente, mas a busca insana pelo mais barato conduz a situações que podem gerar despesas futuras desnecessárias e passivos não percebidos, devido a atitudes impensadas e irresponsáveis.

Essa postura é uma perigosa e endêmica erva daninha presente na maioria das empresas. Em geral, quem compra o mais barato, acaba, na verdade, gastando mais do que o previsto ou mais do que economizou, em boa parte das contratações de prestação de serviços e compras de produtos, já que, poderão surgir retrabalhos, modificações, maior investimento na implantação de um projeto ou maior despesa futura em manutenção e vida útil. Continue lendo “Busca insana pelo mais barato”

Laudos por Telepatia

Com a profusão de solicitações de laudos, surgem oportunistas que vendem tal “produto” como se fosse mercadoria de pronta entrega. Conheça as consequências dessa atitude e também como utilizar corretamente os termos: atestado, declaração, laudo, parecer e relatório.

(maio / 2017)

Apesar das leis, das tentativas de moralização no setor público, de ações judiciais devidas a acidentes provocados por negligência profissional e de certo rigor por parte de órgãos públicos, ainda persiste no mercado a existência de grande quantidade de laudos feitos por “telepatia”, ou seja, emitidos sem a presença do profissional no local dos fatos. São atividades conhecidas por acobertamento e falsidade ideológica, cometidas por profissionais “caneteiros” (aqueles que emprestam sua assinatura sem a efetiva participação técnica). Tais atitudes colocam em risco a sociedade e denigrem a engenharia. Continue lendo “Laudos por Telepatia”

Contratação de serviços de engenharia e de arquitetura

Este artigo orienta contratantes e prestadores de serviço na área da engenharia que qualquer que seja o tipo de construção (desde uma simples residência), tecnicamente e legalmente, os trabalhos devem ser desenvolvidos por vários profissionais: arquitetura, civil, elétrica, hidráulica, ar condicionado, etc.

(julho / 2019)

A contratação de serviços de engenharia e de arquitetura não é uma tarefa simples de ser realizada como todos gostariam. Frequentemente existe a dúvida, e por que não dizer confusão, na busca pelo profissional mais indicado para os diversos serviços técnicos. E não é para menos, pois a área tecnológica (agrônomos, arquitetos, engenheiros, geógrafos, geólogos, meteorologistas, técnicos de 2º grau e tecnólogos) é composta por profissionais das mais variadas formações, com um conjunto de mais de 300 (trezentos) títulos profissionais. Isso mesmo, 300. Por exemplo: engenharia civil, elétrica, mecânica, química, têxtil, naval, aeronáutica, biomédica, florestal, agronômica, de minas, de pesca, de alimentos, etc. Continue lendo “Contratação de serviços de engenharia e de arquitetura”

Memorial descritivo de projeto

O memorial descritivo de projeto é tão ou mais importante do que os costumeiros desenhos. Será que ele tem sido construído e redigido de maneira adequada? Será que também tem sido objeto de “as built”?

(outubro / 2017)

Tão imprescindível quanto os desenhos de um projeto é o seu memorial descritivo. No entanto, ele tem sido desprezado por boa parte dos projetistas, que não percebem a importância desse documento e do seu conteúdo, até como eventual salvaguarda.

A norma técnica de instalações elétricas de baixa tensão da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, NBR 5410, estabelece quais são as partes mínimas constituintes de um projeto de instalações elétricas, a saber: Continue lendo “Memorial descritivo de projeto”

Projetos complementares!?

Projetos de instalações elétricas, hidráulicas, automação, climatização entre outros, não devem ser tratados como “projetos complementares”, mas sim como “projetos de engenharia”.

(setembro / 2016)

     O termo “projetos complementares” vem sendo utilizado há muito tempo para designar os projetos de instalações elétricas, hidráulicas, estrutural, climatização, automação, entre outros, que não os de arquitetura. Será que é correto se referir a esses projetos como projetos complementares? A resposta pode parecer simples, e por força do hábito existe a tendência de se embarcar na mente coletiva, sem questionar certos usos e costumes, e algumas incoerências passam despercebidas. Continue lendo “Projetos complementares!?”