Busca insana pelo mais barato

Este artigo aborda a questão da contratação de serviços de natureza intelectual pelo menor preço, com apresentação de exemplos com consequências danosas.

(agosto/2018)

Ninguém joga dinheiro fora intencionalmente, mas a busca insana pelo mais barato conduz a situações que podem gerar despesas futuras desnecessárias e passivos não percebidos, devido a atitudes impensadas e irresponsáveis.

Essa postura é uma perigosa e endêmica erva daninha presente na maioria das empresas. Em geral, quem compra o mais barato, acaba, na verdade, gastando mais do que o previsto ou mais do que economizou, em boa parte das contratações de prestação de serviços e compras de produtos, já que, poderão surgir retrabalhos, modificações, maior investimento na implantação de um projeto ou maior despesa futura em manutenção e vida útil. Continue lendo “Busca insana pelo mais barato”

Laudos por Telepatia

Com a profusão de solicitações de laudos, surgem oportunistas que vendem tal “produto” como se fosse mercadoria de pronta entrega. Conheça as consequências dessa atitude e também como utilizar corretamente os termos: atestado, declaração, laudo, parecer e relatório.

(maio / 2017)

Apesar das leis, das tentativas de moralização no setor público, de ações judiciais devidas a acidentes provocados por negligência profissional e de certo rigor por parte de órgãos públicos, ainda persiste no mercado a existência de grande quantidade de laudos feitos por “telepatia”, ou seja, emitidos sem a presença do profissional no local dos fatos. São atividades conhecidas por acobertamento e falsidade ideológica, cometidas por profissionais “caneteiros” (aqueles que emprestam sua assinatura sem a efetiva participação técnica). Tais atitudes colocam em risco a sociedade e denigrem a engenharia. Continue lendo “Laudos por Telepatia”

Contratação de serviços de engenharia e de arquitetura

Este artigo orienta contratantes e prestadores de serviço na área da engenharia que qualquer que seja o tipo de construção (desde uma simples residência), tecnicamente e legalmente, os trabalhos devem ser desenvolvidos por vários profissionais: arquitetura, civil, elétrica, hidráulica, ar condicionado, etc.

(julho / 2019)

A contratação de serviços de engenharia e de arquitetura não é uma tarefa simples de ser realizada como todos gostariam. Frequentemente existe a dúvida, e por que não dizer confusão, na busca pelo profissional mais indicado para os diversos serviços técnicos. E não é para menos, pois a área tecnológica (agrônomos, arquitetos, engenheiros, geógrafos, geólogos, meteorologistas, técnicos de 2º grau e tecnólogos) é composta por profissionais das mais variadas formações, com um conjunto de mais de 300 (trezentos) títulos profissionais. Isso mesmo, 300. Por exemplo: engenharia civil, elétrica, mecânica, química, têxtil, naval, aeronáutica, biomédica, florestal, agronômica, de minas, de pesca, de alimentos, etc. Continue lendo “Contratação de serviços de engenharia e de arquitetura”

Memorial descritivo de projeto

O memorial descritivo de projeto é tão ou mais importante do que os costumeiros desenhos. Será que ele tem sido construído e redigido de maneira adequada? Será que também tem sido objeto de “as built”?

(outubro / 2017)

Tão imprescindível quanto os desenhos de um projeto é o seu memorial descritivo. No entanto, ele tem sido desprezado por boa parte dos projetistas, que não percebem a importância desse documento e do seu conteúdo, até como eventual salvaguarda.

A norma técnica de instalações elétricas de baixa tensão da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, NBR 5410, estabelece quais são as partes mínimas constituintes de um projeto de instalações elétricas, a saber: Continue lendo “Memorial descritivo de projeto”

Projetos complementares!?

Projetos de instalações elétricas, hidráulicas, automação, climatização entre outros, não devem ser tratados como “projetos complementares”, mas sim como “projetos de engenharia”.

(setembro / 2016)

     O termo “projetos complementares” vem sendo utilizado há muito tempo para designar os projetos de instalações elétricas, hidráulicas, estrutural, climatização, automação, entre outros, que não os de arquitetura. Será que é correto se referir a esses projetos como projetos complementares? A resposta pode parecer simples, e por força do hábito existe a tendência de se embarcar na mente coletiva, sem questionar certos usos e costumes, e algumas incoerências passam despercebidas. Continue lendo “Projetos complementares!?”

Aplicabilidade e vigência de normas

Uma norma técnica da ABNT pode ou deve ser aplicada de forma retroativa?

(agosto/2017)

Este artigo apresenta esclarecimentos sobre a entrada em vigor das normas técnicas da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas e seu período de aplicabilidade.  Confusões sobre essas questões tem feito o tema assumir esferas de ordem legal, ultrapassando os limites da engenharia.

Continue lendo “Aplicabilidade e vigência de normas”

Ervas daninhas

Determinados fatos e atitudes que comprometem seriamente o desenvolvimento da prestação de serviços de engenharia no Brasil.

(abril / 2007)

Provavelmente o conteúdo deste artigo não seja novidade para muitos. No entanto, não custa trazer novamente à tona para reflexão e debate, determinados fatos e atitudes que comprometem seriamente o desenvolvimento da prestação de serviços de engenharia no Brasil.

Sem querer ser saudosista, felizes aqueles que tiveram a oportunidade de trabalhar nos anos 70. A engenharia podia ser praticada e desenvolvida com grande Continue lendo “Ervas daninhas”

Queda de tensão

Aspectos sobre queda de tensão em instalações elétricas de baixa tensão, tendo como base a norma NBR 5410:2004.

Figura 1 – Ponto de entrega

(julho / 2009)
Este artigo aborda aspectos sobre queda de tensão em instalações elétricas de baixa tensão, tendo como base a norma NBR 5410:2004, e destaca pontos importantes, para demonstrar a preocupação com o atendimento dos requisitos normativos e também com as condições reais de algumas instalações elétricas, que podem prejudicar o funcionamento de aparelhos elétricos, sem que sejam, por vezes, Continue lendo “Queda de tensão”

Placa de obra, serviços e instalações.

Placas de identificação de obras é uma obrigação legal que os profissionais de engenharia precisam observar.

(outubro / 2014)
Há anos observa-se certo desuso da “placa de obra”. Quando ela existe, geralmente se refere apenas ao responsável técnico pela direção da obra. Com isso, os profissionais responsáveis pelos diversos serviços que ocorrem em um empreendimento perdem uma grande oportunidade de divulgar o seu trabalho (direito autoral), de valorizar a engenharia e de cumprir a legislação.

Este artigo tem o objetivo de alertar e incentivar os profissionais da área Continue lendo “Placa de obra, serviços e instalações.”